sábado, 6 de junho de 2015

Broken

Não adianta chorar pelo leite derramado. Mas se não chorar pelo leite derramado, pelo o que mais vou chorar? A irreversibilidade do leite derramado é a coisa mais triste que existe. É a prova cabal da nossa impotência perante a vida. É saber que o amor destruído não vai florescer de novo, que a palavra dita no momento de raiva não vai ser esquecida, que os erros nojentos do passado nunca serão completamente lavados. Morte, destruição, transformação. O belo corrompido cruelmente pelo caos: a matéria é a mesma, a energia também, o que muda é apenas a ordem, tão importante e tão negligenciada.
E a nós, só nos resta a escravidão rebelde inerente a todos os seres humanos: viver a vida tão impotente quanto qualquer outra criatura, mas nos enganar crendo que somos especiais e que temos algum controle da ordem do universo.
Ser otimista não faz 1+1>2, ser pessimista não o faz menor que 2. As coisas são o que são: felicidade e tristeza vem e vão e o que podemos fazer? Aproveitar o leite que bebemos e chorar pelo leite derramado.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Entrevista Danilo Gentili com o a Luciana Genro

Finalmente vi a tão comentada entrevista do Danilo Gentili com o a Luciana Genro.
1-Gostei muito das propostas dela.
2-Não tenho nada contra nem a favor do Gentili, acho ele engraçado, mas não me consideraria fã dele.
3-Não sou especialista em história e muito, mas muito menos em política.
4-Não precisa de muita boa vontade para entender que o eles quiseram dizer foi: REGIMES socialistas/comunistas mataram milhões. Ou seja, o problema não é com o socialismo em si, mas com o que a (tentativa da) implantação dele já causou historicamente.
5-Muitas pessoas que apoiam as ideologias socialistas/comunistas usam o argumento: nunca existiu um governo realmente comunista, mas essas mesmas pessoas várias vezes culpam as religiões por terem matado pessoas. Mas se formos por esse mesmo argumento temos que: nunca existiu um grupo realmente cristão(ou insira outra religião aqui). Ou seja, obviamente algumas das ideologias tanto das religiões, quanto do socialismo, comunismo e várias outras são lindas e se aplicadas de verdade obviamente trariam muito bem para a humanidade. Mas o que vemos é que não basta uma ideologia ser boa, mas ela tem que funcionar levando em conta a natureza humana, e é nesse ponto que vejo que essas ideologias falham: pelo o que vimos historicamente, elas não funcionam com a natureza humana.
6-"Vai estudar" não é argumento, pessoal! É um ótimo conselho, mas não argumento. Se for assim, qualquer discussão do mundo pode ser resolvida dizendo isso com um ar de superioridade.

Enfim, por mais que me irrite um pouco ver pessoas tão animadas por conta de um argumento tão infantili(não resisti), é legal ver a discussão rolando e ver o impacto que a internet vai ter nas eleições.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Abandono

Eu me sinto tonto e triste. Várias lágrimas vertem dos meus olhos, mas não sinto dor nem raiva, apenas uma tristeza amortecida.
Em um último instinto, um último momento de desejo, me agarro à cintura dela. Sinto seu cheiro, a maciez das suas curvas e aquele sentimento inexplicável de toda vez que a abraço.
Ela apenas me olha. Apática. Com aqueles grandes e lindos olhos brilhantes. Olhos que já olharam dentro dos meus enquanto chorando ela me prometia amor eterno. Olhos que agora eram apenas uma apatia vazia.
Mesmo segurando-a com toda minha força, ela desvencilha-se facilmente de mim, pois toda minha força, já não significa força alguma.
Impotente e de joelhos no chão vi com meus olhos umidamente desesperados o quão linda ela é.
Pena que a visão não durou muito, pois em poucos instantes um chute certeiro no queixo me faz perder a consciência.
No chão, livre da paranóia do mundo real, sonhei que faziamos sexo.
Enquanto compartilhavamos momentos de prazer intenso eu alternava entre cheirar seu cabelo e apreciar aquele rosto perfeito se contorcendo de prazer enquanto minhas mãos se deliciavam em seus seios perfeitos.
No momento em que gozamos, juntos, eramos do tamanho do universo. Nada mais existia, apenas nós dois e aquele momentoe aquele espasmo percorrendo todo nosso corpo e nos inundando de felicidade e esperança.
Depois, em um momento tão curto quanto aquele orgasmo intenso, vi nossos filhos. A vi já velhinha. Senti sua mão enrugada na minha.
No infinitésimo de segundo antes de cair no abismo escuro desejei apenas nunca mais acordar e ver a luz cruel da realidade de novo.

Baseado em um pesadelo.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Jogo da cobrinha

Mostrar/Esconder Controles
0 pontos

Direcionais: move a cobra.

Espaço: reiniciar.

Clique em 2 pontos diferentes para desenhar um obstáculo.

terça-feira, 11 de junho de 2013

K

Amar. Gostar. Curtir. Estar afim. Podemos chamar os sentimentos da maneira que quisermos, mas não podemos contralar como os sentimos.
Ás vezes amamos na hora errada. Ás vezes a intensidade do sentimento esmaga o nosso ser, nos transformando em escravo daquela dor no peito e das imagens daquela pessoa que não saem da nossa cabeça.
Eu tento não pensar nela. Eu digo ao meu cérebro: "Por favor, não pense naquela garota". Não pense o quão lindo é o sorriso dela e o quão feliz me sinto quando sou seu causador. Não pense em quão macia e bela é sua pele e quão sensual são seus lábios. Não pense no paraíso para o qual me transporto quando chego perto dela e sinto seu cheiro.
Mal me lembro daquele corpo feminino e daquelas curvas que me fazem perder a direção.
Aaaah, é tanta coisa para não lembrar: seu olhar se encontrando com o meu, suas pernas, seus seios, seu jeito divertido, os tapas que me dá quando brinco com você.
Eu sinto que poderia não lembrar de você para sempre e poderia não escrever sobre o quanto eu te amo até não ter mais energia nas mãos.
Mas é melhor eu parar por aqui, pois quanto mais eu penso em te esquecer, mais eu me lembro o quanto eu te amo.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

A fragilidade está nos olhos de quem vê

Edson trabalhava como guarda para Ceará, o chefe do morro do Galo Louco. Ele era um rapaz alto, moreno-escuro e inesperadamente bonito para alguém com tão sofrida existência.
Isabela era a garota mais inteligente do morro, conseguiu uma bolsa para estudar enfermagem em uma das escolas mais caras do Rio e era tida como uma heroína em sua comunidade.
E como se não bastasse o fato de ser inteligente, Isabela também era uma das mulheres mais bonitas da favela, e talvez até da cidade: volumosos cabelos ondulados que exalavam um cheiro angelical por onde ela passava, rosto delicado como o de uma princesa, lábios voluptuosos e um corpo que parecia ter sido moldado pelo próprio criador em uma bela obra prima de ébano.
Edson era encarregado da ronda noturna na área onde ela morava o que causou deles se encontrarem quase todos os dias e trocarem algumas palavras e alguns olhares. E tao inevitavelmente quanto o dia dá lugar à noite, Edson se apaixonou perdidamente por Isabela.
E sendo o amor o ponto fraco de todo guerreiro, Edson, um homem que já havia matado policiais com tiro na cara e assado pessoas no microondas, sentia um estranho peso no peito e perdia a voz toda vez que tentava se declarar à Isabela. E como amar é viver imerso em incorências, Edson se sentia um verme inútil por não conseguir ter em seus braços a mulher que amava,  mas também se sentia o maior herói do mundo quando ela o olhava com aqueles grandes olhos cor de mel e dizia:
-Você é tão gentil, me sinto super segura com você aqui. Boa noite!
Ceará, o dono do morro era conhecido por comer todas as garotas da favela, quer elas queiram ou não. Um dia ele comentou com Edson:
-Tá na hora de comer a geninha logo, antes que ela embarangue. Mulher que estuda demais fica acabada logo.
Ao ouvir isso, o coração de Edson parou por um segundo, e depois começou a bater num compasso desacelerado. A idéia de sua amada ser usada como um brinquedo, como um pedaço de carne para Ceará aliviar suas bolas, lhe tirava a vontade de viver, lhe dava vontade de matar Ceará, matar todo mundo, pra ficar só a Isabela e ele nesse mundo. Mas ele respirou fundo e prometeu a si mesmo manter a calma e pensar em algo.
Nesse meio tempo, Ceará começou suas investidas em Isabela, e elas não pareciam ser bem-sucedidas: ela recusava seus convites para sair, devolvia os presentes e travava um dos maiores traficantes do país como um mero fogueteiro.
A cada negativa de Isabela, Edson se alegrava por dentro, e a admirava cada vez mais por se valorizar tanto e não ceder mesmo ao dono do morro. Ele se questionava de onde vinha tanta força. Talvez fosse porque ela estava apaixonada por outro alguém. Talvez fosse por ele!
Numa fria noite de Junho, Isabela subia o morro e Edson avistou Ceará se aproximando e a agarrando pelos braços. Em um instinto protetor e assassino, Edson atirou certeiramente na cabeça de Ceará que caiu morto na hora. Isabela se assustou e gritou. Para acalmá-la Edson assoviou e acenou para mostrar sua presença e foi andando em sua direção, pronto para lhe dizer como se sentia e a convidar para fugir de lá com ele. Quando se aproximou ela estava com a arma de Ceará nas mãos e atirou em cheio no peito de Edson.
 Enquando se ajoelhava, sangrando e confuso em frente a sua amada, ele ouviu as últimas e piores palavras da sua vida:
-Eu amava esse homem! E você o matou! Quão ridículo de um peão pensar que poderia ficar com uma rainha que pertence ao lado do rei!
"Peão?Rainha?Rei?"-pensou o pobre Edson que mal sabia escrever o próprio nome, quanto mais entender uma metáfora sobre xadrez na hora de sua morte. Uma lágrima de tristeza e dor escorreu pelo seu rosto e ele cai morto no chão. Xeque-mate.

FIM

Epílogo
Isabela saiu impune, casou-se com um rico cirurgião e viveu uma vida de riqueza e luxo.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Ruindade é uma benção

Eu ia escrever isso num tweet, mas lembrei que o blog tá jogado as moscas, e é melhor chorar no blog do que no Twitter, então decidi fazer um post curto ao invés de um tweet longo.(UPDATE: acabou nem ficando tão curto) Enfim, na minha opinião certo e o errado são relativos a cada pessoa, então quando eu me refiro a "fazer a coisa certa" eu na verdade quero dizer: "fazer o que acredito ser certo hoje" e da mesma forma, fazer algo errado, seria fazer algo mesmo acreditando que isso não esteja certo. Nesse último ano, ao contrário da maioria dos outros anos desse começo de vida adulta, venho tentando agir corretamente e não nego que ter a consciencia limpa pra variar é bem gostoso, mas na maioria do tempo, ser uma pessoa melhor (de acordo com concepções totalmente pessoais) tem se mostrado uma tarefa muito ingrata e aborrecida. Quando eu era um fdp, as vezes na hora de dormir eu pensava: "Po, isso não tá certo, acho que eu deveria mudar", mas na maioria do tempo eu nem pensava nisso, e simplesmente fazia merdas e enfrentava as consequencias. Mas quando eu sou bonzinho eu meio que fico esperando o mesmo das pessoas e isso me estressa frustra demais. Quando eu era fdp, eu tava nem aí se as pessoas iriam me fuder ou não: se não fudessem, bom pra mim, se fudessem, azar, eu merecia. Agora, eu crio expectativas, me chateio, me estresso, sou reclamão, briguento e ciumento. Talvez isso se deva ao fato de que meu estado normal não é esse, então no fundo eu realmente não sou bonzinho, só não quero mesmo é arcar com as consequencias e os arrependimentos de ser cusão. E ainda devo levar em consideração que o meu certo não é o seu certo, e eu posso acabar me frustrando mesmo quando as pessoas fazem o que é certo para elas, mas não pra mim. Ficar me policiando e me segurando também é muito estressante. O problema é que essa vontade de fazer o certo não é simplesmente algo que eu possa(e talvez nem deva) suprimir. Então acho que o máximo que posso fazer é reclamar aqui. Algumas perguntas: você que faz o certo sem esperar nada em volta, tem alguma dica pra mim? É possível ser bonzinho e feliz? Ou será que isso é uma coisa de nascença? Obrigado para você que leu até o final, espero que tenha gostado e deixe seu comentário, mesmo que seja só pra me criticar e ofender gratuitamente. Até a próxima! O que vai ser em breve, escrevi um conto esses dias, ficou uma merda, mas vou postar mesmo assim, cada um tem o Hank Moody que merece. ;)